Contestação antigovernamental no Irão provocou mais de 300 mortos

Abedin Taherkenareh / EPA

Pelo menos 304 pessoas foram mortas no Irão nos protestos antigovernamentais do mês passado. A repressão ainda continua contra críticos do regime, de acordo com um relatório divulgado esta segunda-feira pela Amnistia Internacional.

As vítimas foram mortas nas manifestações que duraram cerca de quatro semanas em várias cidades do Irão, em novembro, protestando contra um forte aumento do preço da gasolina, sob forte repressão por parte das autoridades, noticiou a agência Lusa.

A Amnistia Internacional revelou que as forças de segurança iranianas abriram fogo contra os manifestantes desarmados, matando pelo menos 304 pessoas e prendendo vários milhares, numa repressão violenta que atingiu, entre outros, jornalistas, estudantes e ativistas de direitos humanos.

“As autoridades iranianas continuam a repressão feroz após os protestos de 15 de novembro, prendendo manifestantes (…) para impedir que digam o que pensam, nesta ação implacável”, denunciou a organização em comunicado.

Iranian authorities are arresting thousands of protesters as well as journalists, human rights defenders and students to stop them from speaking out about Iran’s ruthless repression. This needs to stop.

Publicado por Amnesty International em Segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

A Amnistia Internacional disse que recebeu informações de várias fontes independentes segundo as quais, um mês após o início da agitação popular, “as forças de segurança continuam a prender pessoas em todo o país”, incluindo jovens menores de 15 anos, colocados em “centros de detenção sobrelotados”.

A organização afirma ter recolhido o depoimento de dezenas de testemunhas que confirmam que “as autoridades iranianas, quase imediatamente após o massacre de centenas de pessoas (…), implementaram uma repressão em larga escala, destinada a inspirar o medo de falar abertamente sobre o que ocorreu”.

Refere também que há dezenas de pessoas vítimas de “desaparecimento forçado” e “detenções incomunicáveis”. Contudo, até agora, o Governo de Teerão apenas reconheceu a existência de cinco mortes – quatro agentes da polícia e um civil.

Pede ainda ao Governo de Teerão a “libertação imediata e incondicional de todos aqueles que foram arbitrariamente detidos” e insta a comunidade internacional a protestar de forma veemente contra a sistemática violação de direitos humanos.

Lusa //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. E é isto meus amigos, o que a religião faz!
    Mata-se em nome de um ser mítico, quando na realidade o que o Homem quer é PODER eterno!
    o que era e o que é o Irão…

RESPONDER

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …

João Félix eleito jogador do mês da liga espanhola. Ronaldo vence prémio em Itália

O português João Félix, do Atlético de Madrid, foi eleito o melhor jogador da Liga espanhola de futebol do mês de novembro. O luso revelou-se uma peça fundamental durante todo o mês e ajudou a equipa …