Asteróide que extinguiu os dinossauros levou à multiplicação de espécies de sapos

Cinemuse / Vimeo

O asteróide que extinguiu os dinossauros atingiu a Terra com um energia equivalente a dez mil milhões de bombas de Hiroshima

A enorme diversidade de sapos que existe atualmente é uma consequência do asteróide que extinguiu os dinossauros, afirma um novo estudo realizado por uma equipa de cientistas chineses e norte-americanos.

O estudo, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, concluiu que várias populações de sapos surgiram após a extinção dos dinossauros, há 66 milhões de anos. Trata-se de uma contradição a provas anteriores que sugeriram uma origem mais antiga de muitos grupos de sapos.

Os sapos tornaram-se um dos grupos mais diversos de vertebrados, com mais de 6,7 mil espécies descritas. Mas a falta de dados genéticos dificultou as tentativas de determinar a sua história evolutiva.

O novo estudo mostra que as três maiores linhagens de sapos modernos, que juntos correspondem a 88% das espécies de sapos, apareceram quase simultaneamente. Esta impressionante diversificação de espécies parece ter ocorrido logo após a colisão de um asteróide com a Terra, na região que é conhecida como a costa da Península de Yucatán, no México.

Ao libertar mil milhões de vezes mais energia do que uma bomba atómica, o impacto eliminou três quartos da vida na Terra, mas também parece ter estabelecido a base para o aparecimento de vários sapos.

Os cientistas recolheram uma amostra de 95 genes do ADN de 156 espécies de sapos e combinaram esses dados com informações genéticas de 145 outras espécies para criar uma “árvore genealógica” de sapos com base nas suas relações genéticas.

Depois de utilizarem fósseis de sapo como “o verdadeiro embasamento” dos dados genéticos, os cientistas puderam criar um cronograma da sua árvore genealógica e concluíram que os três grandes grupos de sapos – Hyloidea, Microhylidae e Natatanura – têm origem na expansão que ocorreu há 66 milhões de anos.

“Os sapos existem há mais de 200 milhões de anos, mas este estudo mostra que foi com a extinção dos dinossauros que tivemos a explosão de diversidade de sapos que resultou na maioria dos sapos que vemos hoje”, afirmou o especialista David Blackburn, do Museu de História Natural da Florida.

Blackburn destacou que o asteróide terá destruído grande parte da vegetação do planeta mas, quando as florestas começaram a recuperar, os sapos parecem ter sido um dos grupos que aproveitaram ao máximo os novos habitats. No entanto, nenhuma das espécies de sapo que surgiram antes da extinção dos dinossauros e sobreviveram ao asteróide conseguiram adaptar-se para viver em árvores.

O estudo também indica que a distribuição global de sapos segue a desintegração dos supercontinentes, começando com Pangeia, há 200 milhões de anos, e, depois, Gondwana, que se dividiu entre América do Sul e África. Isto sugere que os sapos usaram a Antártida, que ainda não estava coberta de gelo, como um degrau da América do Sul para a Austrália.

“Acho que o mais entusiasmante do estudo é que mostramos que os sapos são um grupo animal muito forte porque sobreviveram ao acontecimento que extinguiu completamente os dinossauros”, adiantou Peng Zhang, da Universidade Sun Yat-Sen, na China.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas produziram um processador quântico em larga escala feito apenas de luz

Uma equipa internacional de cientistas da Austrália, Japão e Estados Unidos produziu um protótipo de um processador quântico em larga escala feito apenas de luz laser. O mais recente processador quântico é baseado num projeto com …

FIFA investe 449 milhões de euros para desenvolver o futebol feminino

A FIFA anunciou que vai investir 500 milhões de dólares no desenvolvimento do futebol feminino. Em cima da mesa está uma Liga das Nações, um mundial de clubes e torneios para camadas jovens. A FIFA vai …

Escritor famoso escreve livro para ser lido apenas em 2114

O famoso escritor norueguês Karl Ove Knausgaard, autor de romances como A Morte do Pai e a Ilha da Infância, onde explora a sua história pessoal e o seu dia a dia, aceitou escrever um …

PS deverá aprovar recandidatura de Ferro à presidência da Assembleia da República

O Grupo Parlamentar do PS vai reunir-se na quinta-feira, com a presença do secretário-geral, António Costa, ocasião em que deverá aprovar a recandidatura de Ferro Rodrigues ao cargo de presidente da Assembleia da República. Fonte oficial …

Perito revela que arma que investigação diz que matou Luís Grilo foi adulterada

O perito que examinou a arma que, segundo o Ministério Público, António Joaquim usou para matar o triatleta Luís Grilo revelou hoje em tribunal que o revólver foi adulterado, não conseguindo garantir se essa foi …

Cientistas criam vasos sanguíneos artificiais funcionais

Cientistas nos Estados Unidos usaram impressão 3D para fabricar vasos sanguíneos funcionais que poderão vir a ser usados clinicamente em casos de doenças vasculares. O resultado das experiências é relatado num estudo publicado esta terça-feira no …

Ordem suspende durante seis meses obstetra do caso do bebé sem rosto

O Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos decidiu suspender preventivamente o obstetra envolvido no caso do bebé que nasceu em Setúbal com malformações graves. A informação foi avançada à Lusa por fonte oficial da …

A China está a criar porcos gigantes (tão grandes como ursos polares)

https://vimeo.com/368036025 Porcos tão pesados como ursos polares. Esta é a solução encontrada por produtores chineses de porcos que tentam resolver o problema da falta de carne no mercado, muito por culpa da gripe suína africana dizimou …

Rússia e Síria vão partilhar controlo do nordeste sírio

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse hoje que a Turquia e a Rússia alcançaram um acordo pelo qual as forças curdas da Síria vão recuar 30 quilómetros a partir da zona fronteiriça do nordeste …

Câmara dos Comuns aprova acordo do Brexit (mas rejeita calendário apertado)

A Câmara dos Comuns aprovou esta terça-feira a primeira votação do acordo para o Brexit. No entanto, a calendarização da saída foi rejeitada numa segunda votação, deixando um impasse na data para o Brexit. Pela primeira …