Amesterdão pondera proibir arrendamento turístico no centro da cidade

O novo executivo da Câmara Municipal de Amesterdão anunciou que irá subir a taxa turística da cidade para 7% em 2019, aumentar o custo do estacionamento no centro para os 7,5 euros por hora, e que está a estudar proibir o arrendamento para férias nos bairros mais populares.

Estas medidas fazem parte do acordo alcançado esta semana pelos quatro partidos que fazem parte do novo executivo da autarquia local – Esquerda Verde, social-democratas, socialistas e liberais progressistas, no qual se aborda o problema crescente da a massificação de turistas.

Amesterdão, com cerca de 850.000 habitantes, recebe por ano a visita de mais de 17 milhões de turistas, e as previsões dizem que esse número poderá aos 23 milhões em 2025. O arrendamento de apartamentos em plataformas de alojamento de férias passou de 4.500 em 2013 para 22.000 em 2017.

A cidade tinha decidido no início deste ano reduzir de 60 para 30 dias por ano o período durante o qual um apartamento poderia estar disponível para arrendamento em plataformas como o Booking.com ou o Airbnb, mas o novo executivo camarário tem a intenção de ir mais longe.

“Nos bairros onde o equilíbrio entre apartamentos turísticos e residências frequentes tenha sido alterado, queremos tomar medidas de maior alcance, como uma proibição total do arrendamento para férias”, consta do acordo assinado esta semana.

Uma das zonas que irá receber particular atenção é o icónico o Bairro Vermelho, que necessita de um “cuidado especial”. A autarquia pretende fazer um acompanhamento do trânsito de turistas, para discutir com os moradores e empresários locais “possíveis acções” a tomar para reduzir os problemas causados pelo fluxo de visitantes.

  // EFE

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.