Afinal a Antártida ainda ganha mais gelo do que perde

Hostelworld.com

Pinguins na Antártida

Um novo estudo da NASA diz que um aumento na acumulação de neve da Antártida, que começou há 10 mil anos, está actualmente a acrescentar gelo suficiente ao continente para compensar as grandes perdas verificadas.

A pesquisa, publicada no Journal of Glaciology, desafia as conclusões de outros estudos, incluindo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) de 2013, que diz que a Antártida está a perder gelo de maneira geral.

De acordo com a nova análise de dados de satélite, a camada de gelo da Antártida mostrou um ganho líquido de 112 mil milhões de toneladas de gelo por ano entre 1992 e 2001. Esse ganho líquido diminuiu para 82 mil milhões de toneladas de gelo por ano entre 2003 e 2008.

“Estamos essencialmente de acordo com outros estudos que mostram um aumento na descarga de gelo na Península Antártica e na região de Pine Island e Thwaites da Antártida Ocidental”, afirma o principal autor do estudo, Jay Zwally, glaciologista da NASA no Goddard Space Flight Center em Maryland, nos EUA.

“A nossa principal discordância é sobre a Antártida Oriental e o interior da Antártida Ocidental – ali, vemos um ganho de gelo que excede as perdas em outras áreas“, afirma o investigador, citado pelo Phys.org.

O glaciologista acrescenta que a sua equipa “mediu pequenas mudanças de altura sobre grandes áreas, bem como as grandes mudanças observadas em áreas menores”.

Perdas vs ganhos

Os cientistas calculam o crescimento ou diminuição da camada de gelo a partir das mudanças na altura da superfície, que são medidas pelos altímetros de satélites. Em locais onde a quantidade de nova queda de neve acumulada numa camada de gelo não é igual ao gelo que vai para o oceano, a altura da superfície muda e a massa do manto de gelo aumenta ou diminui.

Contudo, pode ser preciso apenas algumas décadas para que o crescimento da Antártida se inverta, de acordo com Zwally.

“Se as perdas da Península Antártica e partes do oeste da Antártida continuarem a aumentar ao mesmo ritmo que estiveram a aumentar durante as últimas duas décadas, as perdas vão-se equiparar aos ganhos a longo prazo na Antártida Oriental em 20 ou 30 anos – e não deverá haver um aumento suficiente na queda de neve para compensar essas perdas”, alerta.

Zwally explica que, enquanto outros cientistas têm assumido que os ganhos de elevação vistos na Antártida Oriental são devido aos recentes aumentos na acumulação de neve, a sua equipa usou dados meteorológicos com início em 1979 para mostrar que a queda de neve na Antártida Oriental, na verdade, diminuiu 11 mil milhões de toneladas por ano.

Eles também usaram as informações sobre a acumulação de neve durante dezenas de milhares de anos para concluir que a Antártida Oriental esteve a engrossar por um longo período de tempo.

“No final da última Era Glacial, o ar tornou-se mais quente e levou mais humidade para todo o continente, duplicando a quantidade de neve que caiu sobre a camada de gelo“, afirma.

Paradoxo

A queda de neve extra que começou há 10 mil anos foi acumulando lentamente na camada de gelo e compactou-se em gelo sólido ao longo de milénios, engrossando o gelo na Antártida Oriental e no interior da Antártida Ocidental a uma média de 1,7 centímetros por ano.

Este pequeno espessamento, que foi sustentado ao longo de milhares de anos e se espalhou através da vasta extensão desses sectores da Antártida, corresponde a um grande ganho de gelo – o suficiente para compensar as perdas de gelo noutras partes do continente e ajudar a reduzir o aumento do nível do mar ao redor do globo.

A equipe de Zwally calculou que o ganho de massa de espessamento na Antártida Oriental manteve-se estável entre 1992 e 2008 em 200 mil milhões de toneladas por ano, enquanto as perdas de gelo das regiões costeiras do oeste da Antártida e da Península Antártica aumentaram em 65 mil milhões de toneladas por ano.

“A boa notícia é que a Antártida não está a contribuir para a elevação do nível do mar, mas sim a diminuir 0,23 milímetros por ano dele”, afirma Zwally.

“Mas esta é também uma má notícia. Se os 0,27 milímetros por ano de aumento do nível do mar atribuídos à Antártida no relatório do IPCC não estão realmente a vir da Antárctida, deve haver alguma outra contribuição para a elevação do nível do mar que não está a ser contabilizada“, acrescenta.

Novas medições

“O novo estudo destaca as dificuldades de medir as pequenas mudanças de altura de gelo a acontecer na Antártida Oriental”, afirma Ben Smith, glaciologista da Universidade de Washington em Seattle, nos EUA.

“Fazer altimetria com precisão em áreas muito grandes é extraordinariamente difícil, e há medidas de acumulação de neve que precisam de ser feitas de forma independente para compreender o que está a acontecer nesses lugares”, aponta Smith.

Para ajudar a medir com precisão as alterações na Antártida, a NASA está a desenvolver o sucessor da missão ICESat, o ICESat-2, que está programado para ser lançado em 2018.

“O ICESat-2 irá medir as mudanças na camada de gelo dentro da espessura de um lápis n° 2“, promete Tom Neumann, glaciologista Goddard e vice-cientista do projecto ICESat-2.

“Isto vai contribuir para resolver o problema do balanço de massa da Antártida, fornecendo um registo de longo prazo de mudanças de altitude”, diz Tom Neumann.

HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

"Mário Centeno está a perder influência no Governo". Os (maus) sinais para o Orçamento de Estado 2020

A proposta de Orçamento do Estado para 2020 [OE 2020] vai ser apresentada daqui a uma semana e alguns economistas antecipam os riscos do documento, falando de uma "situação potencialmente perigosa para as contas públicas" …

Utilizadores russos do Reddit terão divulgado documentos comprometedores sobre o Brexit

A rede social Reddit anunciou ter concluído que utilizadores russos estiveram na origem da divulgação de documentos confidenciais do governo britânico sobre as negociações comerciais do Brexit. O Reddit anunciou, num comunicado citado pela Associated Press, …

Concorrência quer novas regras para fidelizações nas telecomunicações

A Autoridade da Concorrência (AdC) quer mudanças nas regras impostas pelas operadoras de telecomunicações nos contratos de fidelização. Segundo um relatório da AdC, ao qual o Jornal de Negócios teve acesso e que será esta segunda-feira …

Se Trump fosse julgado perante um júri, seria condenado "em três minutos"

Caso o processo de impeachment avance, e Trump seja apresentado perante um júri, Jerry Nadler acredita que o presidente norte-americano seria considerado culpado "em três minutos". O presidente da comissão de Justiça da Câmara dos Representantes, …

Sangue, lágrimas e crianças escoltadas na primeira despromoção da história do Cruzeiro

O Cruzeiro desceu de divisão pela primeira vez na sua história. O último jogo do campeonato, que selou a despromoção, ficou marcado por episódios violentos entre adeptos e polícia. O cenário vivido no 'Mineirão', este domingo, …

Movimento "Convergência" prepara moção para convenção do Bloco (mas rejeita cisão)

Largas dezenas de elementos do Bloco de Esquerda (BE) estiveram reunidos para preparar uma moção para apresentar na próxima convenção do partido, mas rejeitam estar a criar uma nova tendência ou a preparar uma cisão. João …

Empresário lesou Fisco em 60 milhões, mas não tem de devolver nada

Um empresário do setor do ouro condenado a sete anos de prisão por fraude fiscal agravada não terá de devolver nenhuma parte dos 60 milhões de euros de prejuízo que deu ao Estado por não …

Maioria das pistolas Glock roubadas da PSP pode ter estado sempre com a polícia

Luís Gaiba defende que a contagem do armamento não estava atualizada e que, por isso, a maioria das armas alegadamente desaparecidas pode nunca ter saído da posse da polícia. O agente Luís Gaiba, suspeito do roubo …

Rússia banida dos Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos

A Rússia foi banida, esta segunda-feira, de Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos, na sequência de uma decisão, tomada por unanimidade, do comité da AMA que avalia o cumprimento dos regulamentos. A Rússia foi excluída dos …

Governo chinês bane compras públicas de computadores e software estrangeiros

O Governo chinês ordenou que todos os escritórios governamentais e instituições públicas removam computadores e software estrangeiros, ao longo dos próximos três anos, depois da decisão de Washington de banir aquisição de equipamentos da Huawei. A …