Os polos magnéticos da Terra podem estar prestes a inverter (e não estamos preparados)

O campo magnético da Terra está em constante mudança e os polos magnéticos podem inverter-se a qualquer instante. Embora não seja já amanhã, essa inversão está para breve – e, para além de não estarmos preparados, a vida como a conhecemos poderia mudar para sempre.

O alerta foi lançado há um ano pelos geofísicos britânicos Phil Livermore e Jon Mound, investigadores e professores da Universidade de Leeds, no Reino Unido: os polos magnéticos da Terra podem inverter-se a qualquer instante.

Isso não significa que a próxima inversão está ao virar da esquina ou tem data marcada. A história da Terra conta com centenas de inversões magnéticas globais, nas quais os polos magnéticos norte e sul trocaram de lugar. Nos últimos 20 milhões de anos, os polos magnéticos da Terra inverteram-se a cada 200.00 a 300.000 anos.

A última inversão total, a inversão de Brunhes-Matuyama, ocorreu há cerca de 780.000 anos atrás. A última inversão temporária, o evento Laschamp, ocorreu há cerca de 41 mil anos, e durou menos de 1.000 anos – sendo que a mudança real da polaridade durou cerca de 250 anos.

Embora estas inversões de polaridade não sejam incomuns, a próxima inversão terá sérias complicações para a Humanidade – até porque da última vez não estávamos cá. Mas o problema é que, estatisticamente, está na altura de ocorrer a próxima inversão.

Para tentar determinar com exatidão se a inversão está iminente ou não, revela o Futurism, cientistas observaram imagens de satélite e fizeram cálculos complexos para estudar a deslocação do campo magnético.

Na sequência dessa investigação, os cientistas descobriram que o ferro fundido e o níquel estão a drenar energia do dipolo na borda do núcleo da Terra, onde é gerado o campo magnético do planeta. Além disso, descobriram que o polo magnético norte é especialmente turbulento e imprevisível.

Se os blocos magnéticos se tornam suficientemente fortes para enfraquecer o dipolo, os polos invertem de posição. Mas, embora não seja certo que os polos se invertam já, esta atividade demonstra que a inversão não tardará a acontecer – e isso poderá afetar drasticamente as nossas vidas.

Não estamos preparados

O campo magnético da Terra protege o planeta dos raios solar e cósmico. Quando os polos trocam, este “escudo protetor” pode diminuir até um décimo a sua capacidade protetora. Apesar de poder demorar séculos, as radiações acabariam por atingir a superfície Terra, tornando as regiões inabitáveis e causando extinção de espécies.

Mas, antes de isso acontecer, o enfraquecimento do campo magnético causaria danos nos satélites em órbita, causados pela exposição à radiação. Estes danos poderiam afetar os sistemas que controlam as redes elétricas, e, por sua vez, levar a apagões mundiais que, segundo os especialistas, poderiam durar décadas.

Numa era em que dependemos da tecnologia, a vida como a conhecemos mudaria para sempre. Sem redes elétricas funcionais, deixaríamos de conseguir usar telemóveis, máquinas, ou eletrodomésticos. Estas consequências, já de si assustadoras, seriam catastróficas por exemplo nos hospitais, locais no qual milhares de vidas ficariam em risco.

A tecnologia GPS também seria ameaçada. Para além de nos dificultar a vida na hora de nos deslocarmos de carro, afetaria em grande escala as operações militares. Provavelmente, deixaríamos de ter internet e ficaríamos impedidos de ler esta notícia e partilhá-la com os amigos no Facebook (alquela coisa que existia antes do Grande Apagão).

Apesar de esta parecer a descrição devastadora de mais um apocalipse improvável ou longínquo, reconhecer antecipadamente a possibilidade e consequências de uma inversão, e estarmos preparados, poderá na realidade ser a nossa “salvação”.

As empresas de satélites, por exemplo, poderão começar a colaborar entre si, de forma a melhorar os satélites, tornando-os capazes de lidar com uma inversão de polo ou criando novos satélites mais eficazes no que diz respeito ao suporte de radiação extrema.

Também os governos, as comunidades e as empresas poderiam unir forças e precaverem-se, através de planos de ação – assegurando antes de mais que a sociedade está devidamente informada, para que não haja pânico generalizado, e as pessoas saibam como agir.

E pelo sim pelo não, está na altura de recordar como é que se faz fogo com dois pauzinhos.

PARTILHAR

27 COMENTÁRIOS

  1. A ver o os catastrofistas esquerdo debeloides vem agora. na sua sábia opinião. sobre a acção desta mudança dos polos. Estou curioso!!!

    • E o que é que a política tinha de ser para aqui chamada, num artigo respeitante à ciência? Tinha de ser n’é? A direitola debelóide sempre a tentar infiltrar-se…

      • Quem politizou e corrompeu a ciência, foi a esquerda globalista debiloide, sendo que até à data todos os opositores ao politicamente incorretamente imposto, seria apelidados desde fascistas, conservadores deploráveis, ignorantes, racistas, homofóbicos…e entre todos os apelidos insultuosos inventados e por inventar.

      • Caro F Gomes
        Uma vez que no próprio artigo diz, e passo a citar “os governos, (…) poderiam unir forças e precaverem-se, através de planos de acção…” faço desta citação a resposta à sua pergunta “e o que é que a política tinha de ser para aqui chamada” seu esquerdista…

  2. A reportagem dá enfase as pessoas ficarem sem o Facebook mas a possibilidade de afetar o ecossistema como um todo levando a extinção de muitas espécies e por risco a humanidade por falta de comida foi levemente mencionada.

  3. “os polos magnéticos da Terra inverteram-se a cada 200.00 a 300.000 anos” … nem me dei o trabalho de ler todo o resto… me pergunto como alguém pode fazer tal afirmação? quais as provas que existem para chegar a essa conclusão? … seres humanos ignorantes que somos mesmo … lamentável.

    • Concordo totalmente, somos mesmo ignorantes.
      Mas os que nem se dão ao trabalho de ler “todo o resto” tendem a ser mais ignorantes que os outros.

    • A sua cultura geral anda pelas ruas da amargura ,mas se tiver o trabalho de pesquisar vera que as rochas ao formarem-se ficam marcadas na sua orientação magnética,ora com a datação do carbono 14 fica-se a saber a idade dessas pedras ,e está resolvido o problema.Espero que pelo menos tenha o 12 º ano para pelos menos entender o que escrevi e poder pesquisar,senao perdi o meu tempo!

  4. Eduardo e ignorante kkkkk se sabe que mudarom os pólos magnéticos por estudos científicos do leito do mar! Isto é fato e não tem nada para fazer! Ainda bem de bobalhões idiotas como você é 90% da humanidade vai morrer seu FDP ignorante…

  5. Não há problema. O Costa e os comparsas resolvem isto como resolveram Tancos, os Incêndios, o António da CGD, o gajo que tinham nomeado para o SIS e que afinal tinha sido apoiante dos Indonésios e por aí fora. Está tudo resolvido.

  6. Isso já é previsto na natureza, nada no universo é eterno..!!! Fugiremos para outros planetas enquanto ainda dá tempo..kkkk

  7. Não há problemas, isso não acontecerá. Só há um polo na Terra, o Polo Norte. O Polo Sul é invenção, pois a Terra é plana, e o que achamos ser Polo Sul, é na verdade uma grande extensão de gelo, a Borda da Terra. E não, ninguém cai da borda. Aliás, a exploradora Andrea Barnes aparentemente chegou na borda. Hoje isso é mais difícil, pois o acesso é restrito. Pesquisem, se questionem. A dúvida faz parte do pensamento crítico. Saudações amigos portugueses.

    • O pensamento critico faz parte da ciência e não de crenças como essa da Terra Plana!!
      “A ciência visa descobrir a verdade pela evidência e não impõe “verdades” sustentadas em crenças.”
      Quando conseguires provar essa “crença” através do método cientifico, avisa!

  8. Meu caro, é possivel fazer a dedução das inversões magnéticas que ocorreram uma vez que elas ficam registadas na orientação de determinados minerais que se encontram presentem em rochas dos fundos dos oceanos aquando a sua formação. Pesquise mais sobre isso caso a sua capacidade intelectual lhe permita ir além das primeiras palavras de um artigo.

  9. É só iluminados e conversadores de política de taberna na hora do fecho. Quanto mais internet e informação disponível, menor sabedoria e pior sensatez.

    É só comentários estúpidos. Até mete impressão!..

RESPONDER

Há um novo método para medir buracos negros

Os buracos negros supermassivos são os maiores buracos negros, com massas que podem exceder mil milhões de sóis. Apenas esta primavera foi divulgada a primeira imagem do buraco negro supermassivo no centro da galáxia M87, …

E Tudo o Vento Levou… há 80 anos

E Tudo o Vento Levou celebra este domingo 80 anos de vida, marcando a data da sua estreia nos Estados Unidos. Oito décadas depois, o filme mantém-se como uma das maiores obras primas do cinema …

O problema impossível mais simples do mundo está a levar matemáticos à loucura

Matemáticos avisam os seus colegas para se manterem longe da conjetura de Collatz. No entanto, Terence Tao decidiu arriscar, e está muito perto de resolver aquele que muitos chamam de o problema impossível mais simples …

Soldados da Guerra Civil dos EUA pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias

Investigadores encontraram evidências que indicam que soldados da Guerra Civil norte-americana pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias. Escavações em Camp Nelson, no Kentucky, revelaram restos de um estúdio de fotografia com 150 anos, o …

Chuva, vento forte e neve. Mau tempo vai agravar-se nas próximas 48 horas

A Proteção Civil alertou este domingo para um agravamento do estado do tempo nas próximas 48 horas, com períodos de chuva, possibilidade da queda de neve nas terras alta do norte e centro e ainda …

Descoberta nova espécie de aranha-violinista no Vale do México

Cientistas identificaram, no México, uma nova espécie de aranha com um veneno que, apesar de não ser fatal, é capaz de causar necrose na pele humana. Uma equipa de cientistas da Universidade Nacional Autónoma do México …

Já sabemos sobre o que conversam os orangotangos

Um novo estudo da Universidade de Exeter, em Inglaterra, desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os investigadores passaram dois anos a filmar mais de 600 horas …

COP25 aprovou conclusões. Não há acordo para regulação dos mercados de carbono

A cimeira da ONU sobre o clima terminou hoje em Madrid assinalando a urgência para conter as alterações climáticas, mas a mais longa cimeira sobre o clima de sempre sem chegar a acordo nos pontos …

Afinal, os deuses da Antiguidade eram às cores (e já as podemos ver)

https://vimeo.com/379277357 Nos nossos livros da escola e em museus de todo o mundo, as obras de arte da antiga Grécia e Roma não têm cores: são simples, puro e branco mármore. Mas será este apenas um mito? …

A sede do petróleo está a levar os povos indígenas do Equador à extinção

Os povos indígenas do Equador estão sob ameaça dos interesses do território em que habitam. Quase metade das reservas equatorianas de petróleo estão debaixo do Parque Nacional Yasuní. Os interesses dos políticos e dos grandes magnatas …