A fórmula do economista que ganhou 14 vezes a lotaria foi revelada

The Reboot / Flickr

Stefan Mandel, economista romeno, nascido em 1934, ganhou a lotaria por 14 vezes. As primeiras duas vitórias garantiram-lhe dinheiro suficiente para fugir da Roménia e voltar a implantar o esquema na Austrália.

Há quatro vezes mais probabilidade de ser atingido por um raio do que ganhar a lotaria. Mas para Stefan Mandel, estas regras não se aplicam.

Nos anos 60, o economista romeno passava por tempos difíceis. A viver na Roménia comunista de Ceausescu, o seu salário era o equivalente a 76 euros mensais. Escasso para quem tinha duas filhas e uma mulher, e o dia-a-dia na miséria e na pobreza faziam-no ambicionar por mais.

Muitos daqueles que, tal como Stefan, viviam no mesmo dilema e ambicionavam por mais conforto na vida, viraram-se para vidas de crime, algo que Stefan Mandel conseguiu evitar focando-se na… lotaria.

Com um dom natural para números, o economista gastava todo o seu tempo livre analisando documentos teóricos sobre probabilidade escritos no séc. XIII por Leonardo Fibonacci. Depois de anos de pesquisa, Stefan criou um algoritmo de escolha de números baseado num método que apelidou de condensação combinatória.

Através deste algoritmo, Stefan Mandel afirmava conseguir prever 5 dos 6 números da lotaria, reduzindo o número de combinações possíveis de milhões para milhares.

Com argumentos fortes, o economista convenceu amigos e conhecidos a investirem e comprou grandes quantidades de bilhetes de lotaria, seguindo as combinações da sua fórmula.

Para surpresa de muitos, Stefan Mandel conseguiu ganhar o primeiro prémio da lotaria no valor de quase 17 mil euros. Depois de pagar as suas despesas e as comissões aos investidores, Stefan ficou com quase 3 mil e 500 euros, o suficiente para subornar funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros e fugir da Roménia, procurando uma vida nova e um jackpot ainda maior.

Depois de 4 anos a vaguear pela Europa, Stefan Mandel fixou-se na Austrália, onde voltou a jogar na lotaria, desta vez de maneira diferente.

Como funciona

Na lotaria clássica, uma certa quantidade de números são escolhidos aleatoriamente e caso o jogador acerte nos números, ganha o jackpot. As hipóteses de ganhar são, por isso, baseadas num número possível de combinações destes números que, geralmente, encontram-se na casa dos milhões de combinações.

No entanto, Stefan Mandel apercebeu-se de algo: em algumas lotarias, o número total de combinações é significativamente inferior ao prémio do jackpot. E foi nesta teoria que o economista apostou todas as suas fichas.

Ou seja, se numa lotaria for necessário acertar em 6 números entre 1 e 40, o número de possíveis combinações é de 3,838,380. Caso a lotaria pague 10 milhões euros pelo jackpot, em teoria, o jogador pode comprar todas as combinações possíveis por 1 euro, sabendo que num dos talões de jogo estará o grande prémio e um grande lucro.

O passo seguinte seria descobrir como conseguir preencher milhares de talões da lotaria, número a número. Inicialmente, Stefan era obrigado a escrever à mão todas as combinações possíveis, arriscando-se a cair numa grande dívida por causa de um erro. Mas neste passo, os computadores revolucionaram todo o seu processo.

Outro dos problemas na estratégia de Stefan e um dos seus maiores receios, era a possibilidade de haver mais do que um vencedor no grande prémio.

Nessa situação, Stefan Mandel veria o seu prémio final diminuir drasticamente com a divisão dos ganhos, podendo não ganhar o suficiente para cobrir a dívida da compra dos bilhetes – razão pela qual optou por apenas apostar quando o jackpot pagasse pelo menos o triplo do custo de todas as combinações possíveis.

O economista, depois de convencer centenas de investidores, criou um sistema de computadores e impressoras fiáveis que simplificavam todo o processo.

Durante os anos 80, Stefan e os investidores aguardavam que uma lotaria atingisse um prémio superior ao triplo do custo total das combinações e avançavam para a compra maciça de bilhetes. Com este esquema, conseguiram ganhar 12 grandes lotarias e ainda 350 mil euros em pequenos prémios na Austrália e em Inglaterra.

“Toda a gente me dizia que não iria conseguir. Agora as vozes que me rotulavam de sonhador foram silenciadas”, contou Stefan Mandel a um jornal romeno.

Contudo, o sistema do economista chegou ao fim. Em primeiro lugar, o risco que corria era grande para os lucros modestos que tinha. Em 1987, num prémio de 1 milhão e 100 mil euros, lucrou pouco mais de 80 mil euros depois de pagar aos investidores.

As vitórias sucessivas e os grandes prémios ganhos também chamaram a atenção das autoridades australianas responsáveis pelo jogo, que mudaram a lei por variadas vezes. No final da década de 80, os bilhetes impressos por computador e a compra em massa de bilhetes por um só individuo foram proibidas, dificultando as ações de Stefan Mandel.

Atualmente, e depois de mais um último grande golpe na Virgínia, onde arrecadou um primeiro prémio de quase 25 milhões de euros, e de 20 meses numa prisão em Israel por causa de outros esquemas, Stefan Mandel vive na ilha tropical de Vanuatu, na costa da Austrália.

O seu legado está para sempre marcado na legislação americana de jogos a dinheiro, onde os 44 estados que permitem lotaria promulgaram leis que impedem a replicação da estratégia milionária de Stefan Mandel.

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Não bastaria que mais que uma pessoa ganhasse o prémio (nota – pela descrição, essa “lotaria” parece mais um totoloto, em que o apostador escolhe os números em que vai apostar, do que aquilo que em Portugal chamamos uma lotaria,) para todo esse esquema cair por terra?

  2. @Miguel: concordo! As piores mentiras são as que têm um pouco de verdade. E as piores notícias são as que têm um pouco de informação.

  3. O artigo não diz que ele foi condenado por usar matemática. Não indica que esquemas terá feito para ser condenado a 20 meses de prisão em Israel.
    Na Virgínia ganhou 25 Milhões e está a viver agora desses trocos.
    Claro que a alteração nas leis são “vendidas” como protecção de igualdade entre os jogadores, mas sabemos que é para proteger a “casa”

  4. Começa logo por ter uma circunstância falsa!
    Nos anos 60 o equivalente a 76 Euros seriam em moeda Portuguesa, por exemplo, 15.200 Escudos ou como se dizia até a chegada do Euro, 15 contos e 200.
    Ora essa quantia nos anos 60 era um excelente rendimento, só para comparar em minha casa éramos 6 pessoas e com 12 contos o meu pai governava a casa sem nos faltar nada.

RESPONDER

PEV e PAN ameaçam chumbar Orçamento na especialidade

Esta quarta-feira, em debate sobre o Orçamento do Estado para 2021, PEV e PAN ameaçaram chumbar a proposta de OE na especialidade. No debate sobre o Orçamento do Estado para 2021, no Parlamento, Inês Sousa Real …

Imagens de satélite indicam que Irão começou construções em instalação nuclear

Imagens de satélite divulgadas esta quarta-feira mostram atividades na instalação nuclear iraniana de Natanz, um dia depois de inspetores da Agência Internacional de Energia Atómica confirmarem que o Irão iniciou a construção de uma central …

"Salvadores brancos". Organização vai acabar com as viagens de celebridades a África

A organização Comic Relief vai deixar de enviar celebridades como Ed Sheeran ou Stacey Dooley para fazerem filmes promocionais em países africanos após decidir que a abordagem reforça estereótipos ultrapassados sobre “salvadores brancos”. Além de acabar …

Tragédia no Canal da Mancha. Quatro migrantes morreram em alto mar após Governo rejeitar rota segura

De acordo com as autoridades francesas, quatro migrantes - incluindo duas crianças de cinco e oito anos - morreram ao tentar chegar ao Reino Unido de barco através do Canal da Mancha. O pequeno barco …

Detidos 21 suspeitos de desviarem fundos para financiar Puigdemont na Bélgica

A operação da polícia espanhola contra o alegado desvio de fundos públicos para financiar as despesas do ex-presidente regional catalão Carles Puigdemont fugido na Bélgica resultou hoje em 21 detidos ligados ao movimento independentista na …

Ativista detido depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Museu do Louvre

Mwazulu Diyabanza foi detido na semana passada em Paris, depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Louvre. O ativista congolês disse que a ação foi parte de um protesto para que os museus europeus …

Proteção Civil do Porto já pediu recolher obrigatório e recomenda novo estado de emergência

A Proteção Civil do distrito do Porto já avançou com o pedido ao Governo de recolher obrigatório para a região. Marco Martins sugere ainda o regresso ao estado de emergência. Marco Martins, responsável pela proteção Civil …

Exames nacionais de 2021 mantêm normas excecionais criadas no anterior ano letivo

Os professores vão voltar a contabilizar, na classificação dos próximos exames nacionais, apenas as respostas às perguntas obrigatórias e àquelas em que o aluno tenha melhor pontuação, à semelhança das normas excecionais aplicadas no ano …

PSD-Madeira critica preços "pornográficos" e "obscenos" nas viagens da TAP no Natal

O PSD-Madeira voltou nesta quarta-feira a criticar os preços praticados pela TAP nas viagens para a região, referindo que na época do Natal chegam a atingir 1.143 euros, e considerou os valores “pornográficos” e “obscenos”. “São …

Autarca de Roma revela que máfia italiana planeou um ataque contra si e a sua família

A presidente da Câmara de Roma, Virginia Raggi, revelou que grupos do crime organizado planearam matá-la e a sua família porque ela os estava a atacar em partes da capital italiana que dominam. Aos 37 anos, …