A líder dos cigarros eletrónicos que está a causar polémica nos EUA chega a Portugal

A JUUL, que é a mais importante fabricante de cigarros eletrónicos dos EUA e que está a ser investigada pelas autoridades americanas, vai entrar no mercado português já em outubro.

A empresa garante, num comunicado citado pelo Observador, que a sua “missão” é “melhorar a vida dos mil milhões de fumadores adultos em todo o mundo e, consequentemente, eliminar os cigarros”.

A notícia da entrada da JUUL no mercado português chega um dia depois de a administração Trump ter admitido que “vai retirar do mercado cigarros eletrónicos com sabores” na sequência do aumento do número de menores que, embora não fumasse cigarros tradicionais, começou a usar os cigarros eletrónicos.

Além disso, a indústria também está no centro de uma crise por causa de uma onda de problemas respiratórios diagnosticados em pessoas que começaram a usar estes produtos.

A JUUL chega a Portugal em outubro e os seus produtos serão distribuídos em quatro mil pontos de venda em todo o país. Segundo a empresa, estes cigarros eletrónicos serão vendidos “conforme a Diretiva de Produtos de Tabaco da União Europeia”, que exige uma concentração de nicotina nunca superior a 20 miligramas por mililitro. Serão vendidos com um valor entre 29,99 euros e 34,99 euros.

A JUUL venderá dois tipos de cápsulas com diferentes concentrações — uma com 9 mg/ml e outra com 18 mg/ml — “de maneira a oferecer aos fumadores adultos uma possibilidade de escolha”. As cápsulas podem ter sabores de baunilha, menta, manga e tabaco. Uma recarga de quatro cápsulas custará 11,99 euros e uma recarga de duas cápsulas vai custar 6,99 euros.

Empresa distancia-se da polémica nos EUA

A polémica em torno dos cigarros eletrónicos nos EsUA começou após ter sido registado um aumento no número de menores que passou a fumar cigarros eletrónicos, embora não consumisse cigarros tradicionais.

Em entrevista, Kevin Burns, CEO da JUUL, pediu “desculpa” pelo fenómeno. Questionado sobre o que diria aos pais de um adolescente viciado nos produtos da empresa, Kevin Burns respondeu: “Não é para eles. Espero que não tenhamos feito nada que os torne atraentes. Como pai de um jovem de 16 anos, sinto muito por eles e tenho empatia pelos desafios que estão a enfrentar”.

Já em julho deste ano, a epidemia continuava. O problema adensou-se ainda mais em agosto deste ano, quando uma pessoa morreu após ter usados cigarros eletrónicos com sabores e outras 200 ficarem doentes por causa do mesmo produto. Desde então, o número de vítimas mortais subiu para seis. O número de doentes já se aproxima dos 500.

Tosse, dores no peito, dificuldade em respirar, náuseas, vómitos, diarreia, fadiga e perda de peso são os sintomas detetados nos diferentes casos conhecidos. As autoridades já estão a investigar a possível associação com os cigarros eletrónicos, mas ainda não foi confirmada oficialmente como sendo responsável pela doença pulmonar e consequente morte repentina.

Muitos dos casos estão a ser detetados em jovens, mas as vítimas são todas adultos e idosos com problemas de saúde crónicos. Uma análise preliminar do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA, reparou que a maioria dos consumidores usou compostos de canábis nos cigarros eletrónicos.

Em conferência de imprensa, Grant Winterton, presidente da JUUL Labs para a Europa, Médio Oriente e África, distanciou-se da crise dos cigarros eletrónicos: “Há duas coisas que gostava de dizer. Todos viram os relatórios das seis mortes nas últimas semanas. A CDC está a investigar essas mortes nos EUA. O comunicado deles diz que parecem estar relacionados com o THC, uma substância da canábis. Neste momento, a investigação não se direciona para os produtos com nicotina da JUUL”, começa por defender o empresário.

Os nossos produtos foram testados. Não vemos sinais de termos contribuído estes danos. E na Europa nada se tornou aparente. Por isso, espero que a CDC continue a clarificar isto”, sublinhou.

A JUUL apresentou-se como uma alternativa para os 1,6 milhões de fumadores adultos em Portugal, onde, de acordo com a Direção-Geral da Saúde, 10% das mortes são atribuídas a doenças provocadas pelo consumo de tabaco. Segundo o relatório da GFK Portugal, 17% dos fumadores em Portugal deixaria de fumar se houvesse “melhores alternativas” ao produto.

Por outro lado, a Sociedade Portuguesa de Pneumologia coloca reservas ao sucesso dos cigarros eletrónicos no abandono do hábito de fumar. “Não há dados científicos suficientes para recomendar o cigarro eletrónico na cessação tabágica”, argumenta a instituição. “A comunidade médica não deve recomendar aos seus doentes o uso complacente de cigarros ou de dispositivos eletrónicos de dispensa de nicotina”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Houve abusos, mas não há crime nos milhões de Angola que passaram por Malta. MP arquiva caso Deloitte

O Ministério Público (MP) decidiu arquivar o caso de investigação que envolvia 48 sócios da consultora Deloitte que receberam lucros de negócios em Angola, através de Malta. Houve "uso abusivo" das regras fiscais, mas não …

Ex-governador do Rio de Janeiro libertado. Luiz Pezão passará a usar pulseira eletrónica

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) brasileiro libertou na terça-feira o ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, substituindo a sua prisão preventiva por medidas cautelares alternativas, como uso de pulseira eletrónica, anunciaram fontes …

EUA, Canadá e México assinam revisão do NAFTA. Pacto comercial tem 25 anos

Representantes dos Estados (EUA), do Canadá e do México assinaram na terça-feira uma nova revisão do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA), um pacto comercial entre os três países, que já tem 25 anos. Segundo noticiou …

Bósnia fecha campo improvisado e transfere quase 800 pessoas para Sarajevo

A Bósnia fechou, esta quarta-feira, um campo de refugiados, montado num local onde antes funcionava um aterro de lixo, que não tem água potável nem eletricidade. As autoridades bósnias fecharam esta quarta-feira um campo acolhimento de …

Trabalhadores dos Registos em greve a 26, 27 e 28 de dezembro

O Sindicato Nacional de Registos vai estar em greve contra o decreto-lei aprovado pelo Governo, acusando Marcelo Rebelo de Sousa de não ter tido "sensibilidade na análise do diploma do sistema remuneratório". O Sindicato Nacional de …

Artistas exigem 1% do Orçamento do Estado para a Cultura

Mais de 300 artistas concentrados esta terça-feira em frente ao Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, exigiram um valor imediato de 1% do Orçamento do Estado para a Cultura, em 2020. O protesto, convocado pela …

Depois do Idai, ainda há carência de comida e água potável

São milhares os desalojados que, após o ciclone Idai, continuam sem acesso a água potável. Além disso, a necessidade de comida mantém-se em níveis inalterados. Os dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM), patentes no …

Há mulheres-polícia que recebem menos quando estão grávidas

De acordo com um relatório sobre as iniquidades de género dentro da Polícia de Segurança Pública (PSP), ao qual a revista Sábado teve acesso, há mulheres-polícia que recebem menos quando ficam grávidas. Segundo o inquérito realizado …

França. Governo adia entrada em vigor das novas pensões

O novo sistema universal de pensões em França vai abranger apenas as gerações nascidas a partir de 1975 e só terá nova formulação, através de pontos, a partir de 2025. O novo sistema universal de pensões …

Greta Thunberg é a "Personalidade do Ano" da revista Time

Greta Thunberg é a “Personalidade do Ano” mais jovem alguma vez escolhida pela revista Time. A capa da edição de 23 de dezembro foi divulgada esta quarta-feira. A revista norte-americana Time elegeu a ativista climática sueca …