Desvendado o segredo do exército de Terracota. Estava na terra

O mistério do exército de Terracota, que há anos intriga cientistas devido ao seu incrível estado de conservação, pode ter sido finalmente desvendado. Ao contrário do que os especialistas pensavam, as armas foram preservadas por acidente devido às condições naturais do solo em que o monumento foi edificado.

Desde a sua descoberta, na década de 1970, os cientistas acreditavam que as armas de bronze dos guerreiros de Terracota estavam em bom estado de conservação porque eram cromadas, o que sugeria que poderiam ter sido propositadamente assim projetadas para prevenir e resistir ao avanço da ferrugem.

“Sempre ficámos fascinados com a possibilidade de os artesãos de Qin terem usado alguma forma de tecnologia super avançada para preservar as suas armas na vida após a morte”, explicou Martinon-Torres, arqueólogo do Departamento de Arqueologia da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, que estuda a génese deste exército.

“O trabalho científico pioneiro, realizado por especialistas chineses no final dos anos 1970 e início dos anos 80, foi rigoroso e convincente. Os resultados foram surpreendentes, mas a arqueologia do Mausoléu é cheia de surpresas fascinantes e a possibilidade de uma antiga tecnologia anti-ferrugem baseada em cromo parecia plausível”, sustentou ao Newsweek.

Um novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista especializada Scientific Reports deitam esta teoria por terra. Martinon-Torres participou na nova investigação, que contou também com a participação de investigadores chineses.

A pesquisa, que analisou quase 500 armas encontradas no sítio arqueológico, concluiu que a sua preservação é resultado do acaso. A equipa descobriu que o crómio – que sustentava a teoria que defendia que os artesãos tinham criado uma tecnologia anti-corrosão – estava presente em apenas 37 das 500 (8%) das armas analisadas. Contudo esta não é a maior incongruência: além de serem poucas as armas com este elemento, a distribuição do material não é uniforme, tal como seria de esperar num revestimento protetor para armas.

As maiores concentrações de crómio foram encontradas nas alças de lanças e espadas e no cabo das bestas. Em sentido oposto, não há quase nenhum crómio nos parafusos dos gatilhos e nas pontas das flechas e nenhum vestígio nas lâminas de espadas, lanças e alabardas, que são das armas mais bem preservadas.

“O crómio presente no bronze não foi lá colocado deliberadamente“, disse Martinón, citado pelo El País. “O que resta saber é se o crómio ajudou a evitar a corrosão, ainda que acidentalmente, a questão fica no ar”, considerou.

O segredo está na terra

Descartada a opção da tecnologia anti-ferrugem, os cientistas apontam, em linha com algumas outras teorias já existentes, que a conservação do exército se deveu às condições ambientais do local onde o monumento foi construído, aliadas à composição do bronze. O fator ambiente incluiu a composição do solo.

Este é um “terreno particular, mas não específico do poço de Terracota”, explicou Martinón. Apesar de não ser específico deste monumento, o solo – que tem um pH relativamente alto e um grão fino – dificulta a infiltração de água e de ar, podendo dificultar os processos de oxidação. “É o que acontece no túmulo do guerreiro, mas também noutros locais da região onde o bronze restaurado está num estado de conservação muito bom”, concluiu.

“Mais do que determiná-las, as condições do solo influenciam as possibilidades de conservação”, adiantou o especialista de solos Mark Kibblewhite, que não participou no estudo, em declarações ao diário espanhol.

Apesar da descoberta, Martinon-Torres não considera que o facto de o chineses não terem desenvolvido uma tecnologia avançada anti-ferrugem seja uma desilusão. “Há muitos outros elementos do Exército de Terracota que ilustram a extraordinária habilidade e engenhosidade dos artesãos de Qin, e a conclusão um tanto prosaica desta vertente de investigação em particular não deve ser vista como uma deceção“, defendeu.

O exército de Terracota, datado entre 210 e 209 a.C., foi construído para Qin Shi Huang, o fundador da dinastia Qin e primeiro imperador de uma China unificada. O exército é composto por 8.000 soldados, 130 carros, 520 cavalos e 150 cavaleiros. Na época, fpo enterrado com o imperador, visando protegê-lo na vida após a morte.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Morreu Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos

O empresário Sindika Dokolo faleceu, nesta quinta-feira, no Dubai, aos 48 anos de idade, durante a prática de mergulho. A morte do empresário de origem congolesa já foi confirmada à Lusa por uma fonte ligada à …

Lagostins autoclonados invadiram (e conquistaram) um cemitério na Bélgica

Um cemitério na Bélgica foi completamente invadido por lagostins marmoreado. De acordo com o Instituto Flamengo para Pesquisa da Natureza e da Floresta (INBO), a espécie representa uma grande ameaça para a biodiversidade local. Segundo o …

Benfica 3-0 Standard Liège | “Águia” voa de forma imperial

A noite foi de festa no Estádio da Luz para os cerca de 4875 espectadores – 7,5% por cento da lotação – que se deslocaram ao reduto dos “encarnados” esta quinta-feira. O Benfica venceu por 3-0 …

Urnas abertas no Minecraft. Servem para ensinar os jovens a votar nas eleições

A organização não partidária e sem fins lucrativos Rock the Vote e a empresa criativa Sid Lee uniram-se para criar um servidor de "casa de votação" no popular jogo Minecraft antes das eleições presidenciais de …

Zorya Luhansk 0-2 Braga | “Nota artística” em triunfo minhoto

Dois jogos, duas vitórias para o Sporting de Braga no Grupo G da Liga Europa. Uma entrada de rompante em jogo, com dois golos espectaculares nos primeiros 11 minutos, permitiram aos “arsenalistas” controlar e lidar …

Amostra de ADN desvenda homicídio cometido há quatro décadas

Uma amostra de ADN, colhida de um norte-americano da Carolina do Sul após este ser detido por apontar uma arma, permitiu às autoridades desvendar um caso antigo, identificando-o como principal suspeito do homicídio de uma …

Investigadores portugueses criam simuladores para treinar médicos à distância

Investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) desenvolveram, durante o confinamento, um método para os estudantes treinarem para cenários de emergência sem saírem de casa. Em declarações à Lusa, Carla Sá Couto, do …

Restam apenas dois rinocerontes brancos do norte (mas há uma esperança para salvar a espécie)

Com a morte do último macho em 2018, o rinoceronte branco do norte chegou ao ponto em que não pode ser salvo naturalmente. Com apenas duas fêmeas restantes, a subespécie é agora tida como oficialmente …

Há uma região na América do Norte sem qualquer caso de covid-19. Tem a dimensão do México

Nunavut, uma região localizada no norte do Canadá, continua sem registar nenhum caso de covid-19. A receita para o sucesso tem vários ingredientes, mas as caraterísticas especiais da região e as medidas rígidas tomadas logo …

Site da campanha de Trump foi alvo de ataque. Hackers "fartaram-se das fake news"

O website oficial da campanha presidencial de Donald Trump foi alvo de um ataque informático que o deixou temporariamente desfigurado na noite desta quarta-feira. Os hackers responsáveis substituíram o habitual conteúdo por uma mensagem normalmente utilizada …