Conselho nacional do PSD pode ser atirado para novembro. Apoios a Rio e Montenegro equilibrados

Miguel A. Lopes / Lusa

Rui Rio mantém o silêncio sobre uma recandidatura a líder do PSD, o que está a ser visto como um condicionamento do partido, tendo também nas suas mãos o calendário interno. O conselho nacional para analisar os resultados eleitorais poderá ser apenas em novembro. Até lá, assume o lugar de deputado e será o interlocutor do primeiro-ministro no Parlamento.

Segundo um artigo do Público, a comissão política nacional do PSD reúne-se esta quarta-feira mas Rui Rio não tem prevista qualquer declaração à comunicação social sobre o seu futuro político. Desde 06 de outubro que o líder do PSD está em “ponderação” sobre se é novamente candidato a um segundo mandato. Nessa ponderação estão em causa questões políticas mas também pessoais.

Rui Rio parece empenhado em jogar com o tempo, a seu favor. Não só por causa dos eventuais adversários internos – Miguel Pinto Luz mantém reserva quanto a avançar para a liderança – mas também por causa da apresentação do novo Governo e do início, previsto para a semana, da nova legislatura.

Nessa altura, Rui Rio assumirá o lugar de deputado e pode ter, logo a seguir, o protagonismo do partido ao defrontar o primeiro-ministro no debate sobre o programa de Governo, lê-se no Público.

No Parlamento, o líder do PSD terá o papel de líder do partido da oposição, com o perfil de quem sempre defendeu a necessidade de criar pontes para a realização de reformas estruturais. Porventura esse papel sobrepor-se-á ao de líder a falar para dentro do partido.

Na única declaração pública que fez desde a noite eleitoral, Rui Rio pediu que os acordos à esquerda não impedissem reformas estruturais. Dias depois António Costa afirmou não faria acordos formais com a esquerda. Enquanto líder de um Governo minoritário, o primeiro-ministro prepara-se para negociar lei a lei com as bancadas parlamentares.

O PSD poderá ter um conselho nacional só em novembro – pelo menos é o que receia a oposição interna – em que a direção poderá apontar a discussão mais para as opções do Governo, do que para a análise dos resultados eleitorais das legislativas.

Os críticos da direção lembram que Rui Rio não fez nenhum conselho nacional de análise aos resultados após as eleições europeias (em que o PSD teve 21,9%) e que agora se prepara para fugir a esse debate interno.

José Coelho / Lusa

Luís Montenegro

Enquanto Rui Rio faz a sua ponderação há dirigentes próximos que fazem contactos no terreno para tentarem reunir apoios para uma recandidatura, já havendo um candidato à liderança assumido: Luís Montenegro. Para já, o ex-líder parlamentar esteve empenhado em sublinhar o contraste entre a estratégia do atual líder de se mostrar disponível para acordos de regime com o PS e a sua opção de se recusar a negociar entendimentos nem orçamentos com António Costa.

Apoios a Rio e Montenegro muito equilibrados

Aberta a corrida à liderança, “já se contam espingardas”, mesmo sem a confirmação da recandidatura de Rui Rio e com Luís Montenegro a ser para já o único candidato assumido. De acordo com um apuramento da SIC, os apoios das distritais estão muito equilibrados.

Com Rui Rio a recandidatar-se, há sete distritais que se mantêm fiéis ao atual líder, mas mesmo nessas há divisões internas nas concelhias. É o caso de Braga, em que tem apoio do presidente da distrital, mas em que o vice-presidente e algumas das maiores concelhias, como a de Braga – liderada por Hugo soares – estão com Luís Montenegro.

O mesmo acontece na distrital de Aveiro, em que o presidente Salvador Malheiro apoia Rui Rio mas os líderes de concelhias como Santa Maria da Feira, Espinho, Vagos ou São João da Madeira apoiam Luís Montenegro. Entre as distritais que já afirmaram publicamente que apoiam Rui Rio estão Guarda, Vila Real, Bragança, Beja e Faro.

Nove meses depois da tentativa de assalto à liderança do PSD, Luís Montenegro pode contar com o apoio de pelo menos sete distritais, o mesmo número das que já assumiram estar ao lado de Rui Rio.

Essas são Viseu, Castelo Branco, Coimbra, Viana do Castelo, Santarém (mesmo que a distrital não o assuma publicamente e que haja alguns nomes que preferem apostar em Miguel Pinto Luz), Leiria (que pode não tomar partido mas que foi das primeiras a pedir a saída de Rui Rio após as eleições) e Açores.

Miguel Pinto Luz poderá contar com Lisboa – onde foi presidente da distrital – e Setúbal, que em janeiro fez parte do assalto ao poder, mas que agora poderá ficar ao seu lado.

As dúvidas prendem-se com as distritais do Porto (que vai esperar pela decisão de Rui Rio antes de decidir), de Portalegre, de Évora (a presidente da distrital está com o atual líder mas há divisões internas) e da Madeira.

ZAP // //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Irão disponível para negociações sobre acordo nuclear nas próximas semanas

O Irão retornará às negociações sobre a retomada do acordo nuclear de 2015 nas próximas semanas, avançou o Ministério dos Negócios Estrangeiros esta terça-feira, apesar das suspeitas das potências ocidentais sobre a estratégia de Teerão …

Depois do Loon, nasce o Taara. Projeto usou lasers para transmitir 700TB de dados

Depois da morte do Projeto Loon, no início do ano, nasceu o Projeto Taara, que utilizou lasers para transmitir 700TB de dados através do rio Congo. O projeto muda, o nome é diferente, mas a missão …

Vizela - Paços de Ferreira bateu recorde de assistência na I Liga

Maior número de adeptos do campeonato também foi registado nesta jornada, no Benfica-Boavista; mas em termos de ocupação do estádio, o Vizela deixou longe toda a concorrência. Desde os anos 80 do século passado que não …

150 anos antes da viagem histórica de Colombo, um frade italiano escrevia sobre a America

Por volta do ano 1340, Galvano Fiamma registou, na sua Cronica universalis, a existência de terras a oeste da Gronelândia habitadas "por gigantes". Trata-se da primeira menção documentada do continente americano no Mediterrâneo, cerca de …

Os antigos compadres zangaram-se de vez. Trump puxa os cordelinhos nos bastidores para correr com McConnell

A relação de altos e baixos entre os dois azedou de vez depois de McConnell ter reconhecido a vitória de Joe Biden. Trump quer agora que um Republicano concorra contra McConnell pelo cargo da liderança …

Bombeiros embrulharam a maior árvore do mundo em papel de alumínio. Tudo para a proteger

O incêndio consumiu milhares de acres na Califórnia e o National Park Service viu-se obrigado a intensificar os seus esforços para proteger as jóias naturais, incluindo as maiores árvores do mundo. Os incêndios Colony e Paradise …

EUA trocaram "guerra implacável" por "diplomacia implacável" no Afeganistão, diz Biden

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, disse esta terça-feira à Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) que o país se está a concentrar na "diplomacia implacável" e no encerramento de uma era de …

Presidente de El Salvador autodenomina-se "Ditador de El Salvador"

O Presidente de El Salvador, Nayib Bukele, alterou no domingo a descrição do seu perfil no Twitter para "Ditador de El Salvador", passando depois para "Ditador mais 'cool' do mundo mundial", situação registada após os …

Ordem dos Médicos abre processo disciplinar contra Fernando Nobre

O Conselho Disciplinar Regional do Sul da Ordem dos Médicos abriu um processo contra Fernando Nobre, por causa das suas declarações numa manifestação de negacionistas em frente à Assembleia da República. A Ordem dos Médicos (OM) …

Crise da energia obriga UE a enfrentar dependência do gás natural

Os países europeus estão a tentar proteger os consumidores de energia, numa região onde, desde o início do ano, os preços do gás aumentaram 250%, resultado de uma série de forças económicas, naturais e políticas.  Na …