Ao contrário do que diz o Exército, ainda há explosivos de Tancos desaparecidos

Paulo Cunha / Lusa

Guarita abandonada no complexo militar de Tancos

O material que foi furtado do quartel de Tancos, Santarém, em 2017, ainda não foi todo recuperado, noticia este sábado o semanário Expresso, que refere que ao contrário do que tinha sido veiculado pelo Exército, ainda há granadas e explosivos por devolver.

Segundo revela o Expresso, para poder manter sob escuta seis suspeitos do assalto a Tancos, os procuradores encarregados do caso revelaram que, ao contrário do que tinha sido veiculado pelo Exército e pelo Ministério da Defesa, ainda há granadas e explosivos que não foram devolvidos.

De acordo com o semanário, os procuradores do Ministério Público salientam, num recurso apresentado para poder manter suspeitos sob escuta, que o material desaparecido inclui 1.450 munições de 9 mm, 30 cargas de explosivos, três granadas ofensivas, duas granadas de gás lacrimogéneo e um disparador de descompressão.

O jornal salienta que o Ministério Público considera que “a segurança nacional está em perigo enquanto os assaltantes não forem capturados”.

O furto de material militar dos Paióis Nacionais de Tancos, instalação entretanto desativada, foi detetado a 28 de junho, por um sargento e um praça ao serviço do Regimento de Engenharia 1, durante uma ronda móvel. Entre o material furtado estavam granadas, incluindo antitanque, explosivos de plástico e grande quantidade de munições.

A 18 de outubro passado, a Polícia Judiciária Militar recuperou, na zona da Chamusca, quase todo o material militar que tinha sido furtado da base de Tancos no final de junho, à exceção das munições de 9 milímetros.

Contudo, entre o material encontrado, num campo aberto na Chamusca, num local a 21 quilómetros da base de Tancos, havia uma caixa com cem explosivos pequenos, de 200 gramas, que não constava da relação inicial do que tinha sido roubado.

“Está em causa segurança nacional”

O PSD exigiu esclarecimentos urgentes sobre a existência de material militar furtado de Tancos ainda por localizar e promete confrontar, na terça-feira, o ministro da Defesa com este assunto.

Numa nota na sua página na rede social Facebook, o líder parlamentar Fernando Negrão considera “inacreditável” que ainda existam armas e explosivos por encontrar do material militar furtado há um ano do quartel de Tancos.

Está em causa a segurança nacional. O roubo aconteceu em instalações das Forças Armadas, a investigação foi feita pela Polícia Judiciária Militar e o resultado é a total falta de transparência”, criticou Fernando Negrão.

O líder parlamentar do PSD, que na sexta-feira no debate do Estado da Nação já tinha dito que o Governo “não está interessado em apurar a verdade sobre este caso”, acusa ainda o executivo de “não cuidar das funções de soberania” nem da segurança dos portugueses, exigindo “urgentes esclarecimentos”.

Numa nota enviada à Lusa, o deputado do PSD Pedro Roque, coordenador da bancada social-democrata na Comissão parlamentar de Defesa, assegura que o partido irá confrontar o ministro Azeredo Lopes com esta matéria na audição parlamentar marcada para terça-feira.

“Embora a audição seja sobre a cimeira da NATO a gravidade do noticiado, a ser verdade, é de uma gravidade extrema. O que foi dito aos portugueses, pelo Exército e pelo Governo, foi que todo o material furtado tinha sido recuperado e ainda, estranhamente, acrescido de uma caixa de petardos não inventariada”, acrescenta.

Pedro Roque salientou tratar-se de “material de guerra letal que, em mãos erradas, pode ser usado em atentados terroristas”. “Consequentemente, o tratamento deste assunto pelos responsáveis políticos e operacionais deve ser rigoroso e transparente”, defende.

Presidente quer “esclarecimento cabal”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reafirmou este sábado “a exigência de esclarecimento cabal” do ocorrido com o desaparecimento de armamento em Tancos, há um ano, e manifestou “preocupação”.

Numa nota publicada esta noite na página oficial da Presidência da República, , Marcelo Rebelo de Sousa diz que reafirma essa exigência de esclarecimento “de modo ainda mais incisivo e preocupado”.

Marcelo Rebelo de Sousa, que por inerência é o Chefe Supremo das Forças Armadas, diz na nota ter a certeza “de que nenhuma questão envolvendo a conduta de entidades policiais encarregadas da investigação criminal, sob a direção do Ministério Público, poderá prejudicar o conhecimento, pelos portugueses, dos resultados dessa investigação”.

Que o mesmo é dizer o apuramento dos factos e a eventual decorrente responsabilização”, conclui o Presidente da República.

A 1 de março passado, o Presidente da República defendeu uma investigação “mais longe e a fundo” aos casos que envolveram as Forças Armadas nos últimos tempos, como o do desaparecimento de armamento do paiol de Tancos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Mas que parvoíce essas granadas nunca mais vão aparecer, seguramente foram usadas para rebentamentos em algumas barragens para a pesca. Qualquer palerma sabe que muito militares fazem isso para apanhar grandes quantidades de peixe e com castelo de bode e o tejo ali tão perto….

  2. O senhor Presidente terá que pedir explicações ao senhor ministro da defesa mais aos chefes militares a começar pelo comandante da base mas pelos vistos toda esta gente deveriam andar ocupados com outras coisas, ainda vão culpar algum básico lá da base que faria limpeza à parada e assim ficará esclarecido de uma vez por todas a origem do roubo.

  3. Isto é tudo de uma anormalidade total. Enfim este desgoverno que nos tem desgovernado já só engana os incautos e os diminuídos mentais. Vejam o belo exemplo das limpezas de matas. Andem pelo país e vejam a vergonha de tudo isto. TUDO POR LIMPAR! E quanto aos desgraçados que perderam as suas casas: QUE SE F%&/%#, CONTINUA TUDO NA MESMA. Criminosos!

RESPONDER

Imunidade de grupo poderá ser atrasada. Jovens com mais de 18 anos vacinados a partir de 4 de julho

Henrique Gouveia e Melo, coordenador da task-force para o Plano de Vacinação contra a covid-19, admitiu um atraso de até 15 dias na meta de 70% de população vacinada com a primeira dose, devido ao …

Supremo espanhol ordena libertação imediata dos nove políticos catalães

O Supremo Tribunal espanhol ordenou, esta quarta-feira, a libertação imediata dos nove líderes independentistas catalães condenados pela tentativa separatista de 2017, depois de o Governo ter concedido um indulto por "razões de utilidade pública". Segundo a …

Corona quer sair do FC Porto e tem uma escolha de eleição

Em final de contrato com o FC Porto, Jesús Corona olha para a porta de saída e vê no Sevilha a escolha de eleição para seguir a sua carreira. Jesús Corona termina contrato com o FC …

Índia alerta para variante Delta Plus, já presente em Portugal. É a chamada "mutação nepalesa"

A Índia alertou, esta terça-feira, para uma mutação da variante Delta, chamada Delta Plus, que já terá sido detetada em nove países, incluindo Portugal. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge confirma que se …

PS acusa Rui Rio de "incoerência" por criticar Governo após palavras de Merkel

Sobre as críticas de Angela Merkel subscritas por Rui Rio, Ana Catarina Mendes lembra que, "em maio, o PSD criticava o Governo por não ter ainda anunciado a abertura aos voos do Reino Unido". A líder …

Arqueólogos investigam mistério de túmulos reabertos há 1400 anos

Um novo estudo mostra que pessoas que viviam na Europa há cerca de 1400 anos tinham o hábito de reabrir túmulos e retirar de lá certos objetos, algo que os arqueólogos ainda estão a tentar …

O dilema de Costa nas negociações: de um lado a esquerda que quer "destroikar", do outro Centeno que deixa avisos

António Costa vai dar início às negociações sobre o Orçamento do Estado em julho, mas está numa encruzilhada: se, de um lado, tem a esquerda a pressioná-lo com o dossiê do Código do Trabalho; do …

"Dever de neutralidade". Portugal não assinou carta contra a Hungria pelos direitos LGBTI

O Governo de António Costa está a ser duramente criticado por ter recusado subscrever uma carta assinada por 13 Estados-membros da União Europeia (UE) contra a Hungria, na defesa dos direitos LGBTI neste país. O …

Jogos de futebol emocionantes podem (literalmente) parar o coração

Um equipa de investigadores descobriu que um jogo de futebol emocionante, que deixa as pessoas stressadas ou zangadas, pode provocar um ataque cardíaco. Em 2014, a Alemanha venceu a Argentina na final do Campeonato Mundial de …

PSD aprovou lei que mantém libertação de presos

Num texto conjunto com o PS, no ano passado, o PSD propôs que a vigência do regime de perdão de penas no âmbito da covid-19 terminasse "na data a fixar em lei própria". O líder do …